Vai Casar? Seja chique, seja você, seja Feliz!

A vida sem celebração, sem festa, quase não teria sentido. Celebramos o nascimento (e todos os aniversários de nascimento…), celebramos conquistas pessoais, encontros e até despedidas. A celebração existe para que todas as conquistas e fatos marcantes sejam memoráveis, sejam lembrados.
No casamento em especial, escolhemos as pessoas que tem importância na nossa vida para compartilhar e festejar. Planejamos com cuidado cada detalhe: local, decoração, roupa, maquiagem, comida, música…. Tudo para que quando chegue o grande dia tudo saia perfeito. Teoricamente, quanto mais cuidado maior a possibilidade de vivenciarmos o dia mais feliz da nossa vida, certo?? Nem sempre!
Cuidar de todos os detalhes com carinho (se possível com a ajuda de um profissional) aumenta as possibilidades de tudo ¨dar certo¨. Porém, tudo ¨dar certo¨ não é sinônimo de um dia feliz de verdade!
Em primeiro lugar, em tempos de superproduções e muitos modismos, cabe primeiramente à noiva perguntar-se o quão cada ¨modismo¨, produto ou serviço que está disponível no mercado tem a ver com ela. Ou mesmo, o que dentro do leque de serviços e produtos para casamento vai agregar felicidade, conforto ou crescimento pessoal.

¨Seu casamento pode ser do jeito que for: pequeno, discreto, animado, sofisticado, casual, megapoderoso, original, criativo ou surpreendente. Importante é refletir é você. Muitas vezes a noiva não escolhe, deixa-se levar por hábito, pressões ou puro comodismo. (…) O caminho para descobrir como você quer se casar pode surgir de um mergulho interior, do simples fechar os olhos e imaginar, passo a passo, o clima, o cenário, a música, os perfumes, as cores, as emoções. E as idéias brotarão com facilidade. Esse primeiro ¨Pensar Sobre¨ é, na maioria das vezes o roteiro de nossas escolhas definitivas. Basta escutar o coração e lembrar que existem três tipos de regras: as antigas, as novas e as que VOCE CRIA.¨ (Alba Noschese – Casamento Prêt-à-porter)

Outra questão importante é simplesmente curtir o dia sem se preocupar se tudo está perfeito ou não, se tudo está correndo dentro do planejado ou não. Em minha experiência como fotógrafo muitas vezes percebo na expressão de algumas noivas uma preocupação tão grande com o andamento do cerimonial, com os detalhes que ainda vão acontecer, que a impressão que dá é que elas simplesmente não estão presentes naquele momento. E se não vivenciam cada momento, obviamente deixam de curtir a celebração como deveria. Talvez até ela tenha mais dificuldade para se lembrar do que aconteceu porque não estava ¨presente¨ naquele momento e sim pensando no que ia acontecer… O ideal é que exista alguém para cuidar do cerimonial e que os anfitriões simplesmente relaxem e vivenciem cada momento e compartilhem sua alegria com os convidados. Ao mesmo tempo, o cerimonial não pode ser tão rígido a ponto de que, se alguma coisa não correr exatamente como no roteiro, isso cause uma frustração. É importante termos em mente que o roteiro é um instrumento, um meio e não um fim em si mesmo. Mais que isso, a festa é um ¨instrumento¨ e não um fim em si mesmo. O objetivo da festa de casamento é compartilhar felicidade. Toda a produção que envolve o casamento deve colaborar para isso. É a produção deve que deve te ¨servir¨ e não você que deve ser ¨escravo¨ dela.
Por mais cores, flores e luzes bonitas que você tenha prá se lembrar depois. A memória mais importante que você deve ter são os sorrisos e lágrimas de felicidade! Os abraços apertados, os beijos… as emoções vividas!

(Em tempo: Na foto acima, um casal autentico e feliz: Paula e Ricardo!)

Your email is never published or shared. Required fields are marked *

*

*

F a c e b o o k